segunda-feira, 14 de julho de 2014

COMUNICADO IMPORTANTE.

 
Dia 16/07, às 09:00h da manhã, na Capela do Carmelo Santa Teresinha, teremos a Santa Missa em honra de Nossa Senhora do Carmo, e às 19:00h do mesmo dia, teremos o encontro dos devotos do Escapulário, na Ermida de São José, Carmelo Santa Teresinha. Aproveitamos a oportunidade para lembrar a todos, que dia 19/07 faremos uma reunião extra de nossa comunidade, onde na ocasião comemoraremos os aniversariantes do trimestre, abril, maio e junho. Santa Madre Teresa de Jesus, rogai por nós! 

sábado, 5 de julho de 2014

CARMELO, ORDEM DO CARMO E ESCAPULÁRIO DO CARMO





Breve resenha histórica

O Carmelo é uma bela montanha de 522 metros de altitude (média), situada ao norte da Palestina, que parte da cordilheira do Líbano e domina a vasta baía de São João d'Acre, no Mediterrâneo (geralmente as bíblias trazem um conjunto de mapas da Terra Santa. Vale a pena conferir na sua Bíblia essas localizações geográficas). Situada entre a Galileia e a Samaria, a montanha do Carmelo fica a dez Km de Nazaré.
CARMELO em língua hebraica significa "vinha de Deus", "jardim de Deus". O título do Carmelo recorda a herança espiritual do profeta Elias, como contemplativo e incansável defensor do único Deus de Israel - YHWH.
Ali no Carmelo habitaram os santos profetas Elias e Eliseu. Também os árabes denominam hoje o monte Carmelo, "Vinha de Deus" ou "Campo Florido", ou ainda "Monte de Santo Elias". Ainda existem ali as grutas onde acredita-se que os profetas viviam e a fonte de água que Elias fez brotar da terra, em virtude de suas orações.
O profeta Elias nasceu, aproximadamente, no ano 980 a. C., havia executado 450 falsos profetas de Baal, nas proximidades do Monte Carmelo.
Os sacerdotes de Baal haviam seduzido todo o povo de Israel,  fazendo-o cair na idolatria. Em consequência, sob as ordens do profeta Elias, o céu se fechou por um período de três anos, e a terra, sem chuva tornou-se estéril, como o coração do pecador.
Esta grande e solene "execução da justiça divina" por intermédio de Elias, tesbita, nós a podemos ler pir extenso na Bíblia,  no primeiro livro dos Reis (cf. 1Rs 18,21-40).
Depois desta execução ocorreu um fato milagroso, cujo significado simbólico, segundo exegetas, era a figura excelsa de Maria Santíssima, que viria ao mundo muitos séculos depois.
Elias elegeu Eliseu como seu discípulo e sucessor. Já naqueles tempos, de acordo com uma tradição, vários fiéis israelitas se uniram a eles, formando uma comunidade.



Inspirados pelos profetas Elias e Eliseu, e pela comunidade de profetas por eles formada, durante as Cruzadas, nos séculos XI-XII, juntou-se um grupo de cruzados que permaneceram no Carmelo, vivendo vida eremítica. A motivação era honrar a Mãe de Deus, naquele lugar bíblico, onde viveram Elias e Eliseu. Se durante a cruzada o objetivo era expulsar os fiéis muçulmanos da Terra Santa, depois de conquistada, a luta perdia sua motivação externa e adquiria outra de cunho interno: a luta entre o "velho homem", fadado ao pecado, contra o "novo homem", que nos é dado no Batismo, em Cristo, "Novo Adão".
Esse grupo de "primeiros" Carmelitas viveu aí somente cerca de cem anos. Logo os muçulmanos voltaram e retomaram a Terra Santa. Assim, muitos Carmelitas fugiram para a Europa, e, dessa maneira, espalharam-se pela Europa, onde se estabeleceu.
Contudo, esse estabelecimento na Europa não aconteceu sem dificuldades. Num período em que a Ordem do Carmelo esteve quase por ser extinta, surge o sinal do Escapulário do Carmo, quando a Virgem Santíssima, tendo aparecido a São Simão Stock, Geral da Ordem, promete-lhe a sua proteção materna a todos que usarem o Escapulário com fidelidade e devoção. Isto aconteceu, segundo a tradição, em 1251.



O sinal do Escapulário do Carmo é um sacramental mariano

SACRAMENTAL é um sinal externo instituído pela Igreja. Não dá a Graça por si, como os SACRAMENTOS, mas nos prepara para a Graça, despertando em nós sentimentos de fé e de amor. Qualquer Graça que possamos obter pelo uso dos sacramentais vem das nossas disposições interiores e do poder da oração da Igreja, que garante os sacramentais.
O Papa Inocêncio IV, em 1247, aprovou a Ordem do Carmo, através da bula "Quae honorem conditoris" (01-10-1247), que chancelava a Regra de Santo Alberto (mais conhecida como REGRA DO CARMO).

Como se vê, portar o ESCAPULÁRIO DO CARMO, que é um sacramental, NÃO é o mesmo que:
- usar um sinal protetor "mágico";
- uma garantia automática de salvação;
- uma isenção de viver as exigências da vida cristã.



Mas é um sinal:
- aprovado pela Igreja há sete séculos;
- que representa seguir Jesus Cristo, de modo "marioforme" (a exemplo de Maria);
- abertos a Deus e à sua vontade;
- guiados pela fé, esperança e amor;
- atentos às necessidades dos outros;
- orando em todo momento e descobrindo Deus presente em todas as circunstâncias;
- que introduz na família do Carmelo;
- que alimenta a esperança do encontro com Deus na vida eterna, com a proteção e intercessão da Virgem Maria.

Vamos a partir do dia 06/07 (DOMINGO), começar nossa novena em honra da Virgem Maria, Mãe, Rainha e Formosura do Carmelo.


(Frei André Severo, ocd, Delegado Provincial para as Comunidades e Grupos da OCDS do Norte/Nordeste)



terça-feira, 1 de julho de 2014

FELIZ ANIVERSÁRIO!

Parabenizamos nossos irmãos de Comunidade que aniversariam de Julho!
Dias:
 
01- Maria Luíza de Santa Teresinha do Menino Jesus e da Santíssima Trindade, OCDS
05- Maria Adélia da Transfiguração, OCDS
13- Carla Freitas de Castro
 
Deus os abençoem sempre!

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Junho: Mês do Sagrado Coração de Jesus


 UBI Caritas et Amor, Deus ibi est! Onde há Caridade e Amor, aí Deus está! É com essa bela frase tirada de um hino litúrgico antigo que inicio minhas reflexões sobre o Coração de Jesus, centro e fonte do Amor divino.
O culto ao Sagrado Coração do Salvador teve início no século XVII, na França, graças às revelações feitas a Santa Margarida Maria Alacoque,  humilde religiosa da Ordem da Visitação, bem como por meio do patrocínio e apostolado de seu confessor e diretor espiritual, São Cláudio de La Colombière, SJ.  
Santa Margarida vivia no mosteiro da cidadezinha de Paray-Le-Monial, França, desempenhando tarefas as mais humildes. Era uma alma eleita, um verdadeiro lírio de pureza, possuidora de um coração ardente de amor por Deus. Santa Margarida Maria teve diversas aparições do Senhor nas quais Ele expôs toda sua tristeza e dor por não ser convenientemente amado pela pobre humanidade, tão necessitada de sua infinita bondade e misericórdia.
Jesus, em uma dessas aparições a Santa Margarida Maria, envolto em deslumbrante e fortíssima luz, abrindo o manto e expondo o peito, mostrou por transparência seu Coração Santíssimo dizendo: "eis minha filha, o Coração que tanto amou os homens e, da maioria deles, só tem recebido indiferenças e ingratidões! Já não suporto mais as chamas de amor que me consomem! Ajuda-me a derramar essas chamas de misericórdia sobre as almas!".
Segundo a própria santa, sua alma contemplou e sentiu um pouco desse terrível sofrimento divino: ser Ele mesmo o  próprio amor e não ser amado! Relata-nos Santa Margarida Maria que sentiu sua alma quase ser consumida e destruída pelas chamas do Amor divino que fruíam como “cascatas” ou “torrentes” do Sagrado Coração de Jesus.
Deus, sabedor das dificuldades que uma religiosa de clausura teria em divulgar suas mensagens, providenciou na pessoa de São Cláudio de La Colombiére, padre jesuíta, confessor e diretor espiritual da santa, um amigo e mestre seguros em seu caminho espiritual e um verdadeiro apóstolo da devoção que o Salvador pedia ao seu Sagrado Coração. São Cláudio dispunha de santidade, prudência e sabedoria suficientes para compreender que as mensagens daquela humilde religiosa eram verdadeiras e necessitavam que fossem divulgadas. Enfrentando incompreensões e desconfianças da parte de inimigos ferrenhos – alguns dentro da própria Igreja – São Cláudio tomou para si a tarefa de tornar o Coração de Jesus e seus desejos conhecidos e realizados.
Não podemos esquecer que nessa época estava muito disseminada na Igreja uma corrente filosófica perniciosa chamada “jansenismo”, que divulgava uma religião mais voltada à justiça divina, ao rigorismo e ao temor de Deus do que à misericórdia e ao amor para com Deus. Isso deixava as almas amedrontadas, voltadas a práticas de penitência muito pesadas e temia-se mais ir para o inferno do que propriamente se desejava o Céu.
Santa Teresa Margarida Redi, grande devota e
apóstola do Coração de Jesus
Outros santos e santas foram enviados por Deus, nesta época, para lembrar aos homens e à Igreja o amor de Deus, toda sua bondade, carinho e compaixão para com os pecadores. Entre esses santos encontramos nossa doce e amável irmã, Santa Teresa Margarida do Sagrado Coração Redi (ou, simplesmente, Santa Teresa Margarida Redi) que também foi uma grande apóstola do culto ao Coração de Jesus. Não foi à toa que Santa Teresa Margarida quis colocar o nome de Santa Margarida ao lado do de Santa Madre Teresa em seu nome religioso.
Assim, o culto ao Sagrado Coração, iniciando-se na Ordem da Visitação, à qual Santa Margarida Maria pertencia, e propagando-se na França e no mundo, tornou-se rapidamente uma das devoções cristocêntricas mais divulgadas e queridas pelo povo católico.
Basicamente, o que Jesus deseja é reinar em cada coração humano, onde Ele encontra repouso e abrigo, quando amado. Jesus não se “satisfaz” em ser amado e glorificado no Céu pelos Anjos. Ele tem sede de almas humanas, suas irmãs, e isso Ele bem expressou no Calvário, na cruz, quando bradou: "tenho sede".
De onde é que vem toda essa sede de Jesus? Compreendamos uma coisa: Jesus é Deus-Homem verdadeiro, tendo assim a "chance" de nos amar com um amor "misto", isto é, um  amor perfeitamente humano e perfeitamente divino, que se completam e harmonizam entre si.
Como homem, Jesus tem sede de ser acolhido, de partilhar conosco o que sente por Deus Pai, a quem ama e serve de forma infinita. O Filho ama o Pai e deseja partilhar com seus irmãos e irmãs esse amor incomensurável, pois sabe e conhece que toda nossa alegria e paz residem em amar ao Pai Celeste. Por outro lado, Jesus também se compadece do destino eterno de milhares e milhares de irmãos e irmãs seus que caem diariamente no inferno, para uma eternidade de sofrimentos atrozes e incessantes. Viver sem Deus é o inferno e isso é triste aos olhos de Jesus.
Jesus é nosso benfeitor, nosso Irmão querido que quer nosso bem, nossa saúde (“Eu vim para que as ovelhas tenham vida e a tenham em abundância”, João 10, 10) e nossa felicidade. Ele quer partilhar sua própria felicidade, que goza junto ao Pai Eterno, porém Ele sabe que o caminho é áspero e a porta é estreita! O Reino do Céu se conquista com “violência”, disse um dia aos discípulos. A glória do Céu só se ganha passando pela cruz! Não há ressurreição sem calvário! Porém, Ele nos oferece sua preciosa e indispensável ajuda ("Tomai sobre vós o meu jugo, pois meu jugo é suave e meu fardo é leve; e achareis repouso para vossas almas", Mateus 11, 29-30; "No mundo tereis tribulações, mas coragem: eu venci o mundo!", João 16, 33).

Coração de Jesus: Rei e Centro de todos os
corações que amam a Deus. 
Jesus também nos ama com um amor divino! Sendo Deus, Jesus tem sede de nossas almas, pois ama cada criatura, especialmente as criaturas humanas, criadas à imagem e semelhança divinas! Jesus quer que cheguemos ao Céu (“Pai, quero que, onde eu estou, estejam comigo aqueles que me deste!”, João 17, 24), onde Ele vive em infinita alegria junto ao Pai e ao Espírito Santo, formando a Trindade de Amor. Deus é Amor. Deus é Comunhão. Deus é Partilha. Deus só é feliz quando partilha sua felicidade. Por isso Deus é Trindade, é Família: porque Deus é partilha e amor ao mesmo tempo! Na Trindade Eterna das Pessoas Divinas, Deus já gozava de felicidade infinita e perfeita, não necessitando de criaturas. Porém, para expandir mais ainda esse amor e para partilhá-lo com outros é que decidiram criar seres inteligentes para amá-Lo e servi-Lo. Daí a criação dos anjos e dos homens.
Outro aspecto que não podemos esquecer no tocante ao Coração de Jesus é que Ele é verdadeiramente um coração! Tudo bem que agora, no Céu, o Coração de nosso Senhor está glorioso, porém continua sendo um coração. E o que faz o coração? Bombeia o sangue para as artérias, mantendo o corpo vivo, não é? Assim também o Coração de Jesus: bombeia constantemente o Sangue Preciosíssimo de Jesus por suas artérias, mantendo seu Sagrado Corpo vivo para sempre! Sabemos, por meio de São Paulo Apóstolo, que a Igreja é o Corpo Místico de Cristo. Portanto, o Sagrado Coração de Jesus é quem mantém a Igreja viva, cheia de fulgor, pois dEle emanam a salvação, a graça e a vida! Quantos louvores não devemos dar ao Coração de nosso Senhor, Rei e Centro de todos os corações!
Coração de Jesus, no qual estão contidos todos os
Tesouros da Divindade
Pois bem, honremos esse Coração Divino e Humano de Jesus! Rendamos-Lhe graças e honras por tanta bondade, misericórdia e amizade para conosco. Sejamos gratos por tanta paciência manifestada para conosco. Quantas vezes já nos perdoou e continua aberto ao perdão! Peçamos também que Ele torne nossos corações semelhantes ao dEle: manso e humilde. Somente assim seremos felizes. Somente assim teremos paz. Somente assim o mundo terá e viverá em paz.
Que o Coração mais semelhante ao Coração de Jesus, o doce e imaculado Coração de Maria, possa nos dar essa graça e nos acompanhar na caminhada.
Salve o Coração Sacrossanto de Jesus!

Salve o Coração que tanto nos ama!

terça-feira, 10 de junho de 2014

FESTA DE 15 ANOS DA COMUNIDADE RAINHA DO CARMELO, 07-06-2014

Nossa festa aconteceu no Carmelo Santa Teresinha e contou com a presença de membros da Comunidade Rainha do Carmelo, da Comunidade São José de Santa Teresa, do Presidente Provincial, Luciano Dídimo, dos Conselheiros Provinciais, Ana Stela e Gustavo e também do Provincial, Frei Cleber, OCD
 Jacqueline e Regina
 Ana Stela, Mônica e Rosângela
 Valdete, Jacyra, Mário e Irene
 Liduína, Nádja e João Paulo
 Mirían e Livramento
 Ruth, Gláucia, Helena e Jonas
 Claudete e Claudinha
 Maria Luiza, Gustavo e Régis
 Renato e Eugênia
 Artur, Efigênia e Luciano
 Osmar, Gerardo e Erasmo
 Lia, Maria Clara, Ester, Mônica, Tereza e Cibele
,
 Nossa festa estava linda!!
 Nossas bailarinas, Larissa e Lívia

 As damas
 e os cavalheiros, se preparando para a valsa.
 E foi muita dança!!!

 Comunidade São José de Santa Teresa, nossa 1ª filha!

 As mesas estavam deliciosas!

 Escutamos uma bela música apresentada por Artur e Luís Carlos.
 Frei Cleber e Eugênia
 Que Jesus abençoe mais e mais nossa Comunidade!!

Jantamos ao som de um belo violino!

domingo, 8 de junho de 2014

SANTA MISSA em 06/06/2014

 Celebramos com a Santa Missa na Capela do Carmelo Santa Teresinha, os 15 anos da Comunidade Rainha do Carmelo, presidida pelo Frei Cleber da Trindade, OCD.
 Procissão de entrada


 Frei Cleber aguardando início da celebração.
 Rosângela faz o comentário inicial.


 Gustavo, Conselheiro provincial N/NE, faz a primeira leitura
 Claudete, canta o Salmo
 Proclamação do Evangelho

 Mirian recebe o Santo Escapulário como sinal de admissão à Ordem.

 Valdete, Flávio, Natália e Juliana fazem a renovação das Promessas.
 Regina faz a Oração da Assembléia.
 Momento do Ofertório.
 Nossos músicos, Giovani, Claudete e Luís Carlos
 "Eis o Cordeiro de Deus, Aquele que tira o pecado do mundo."
 Recebendo o Amado de nossa almas, Aquele que sabemos que nos ama!
 "Deus em mim e eu NELE." (Beata Elisabete da Trindade)
 Palavra da nossa presidente, Mônica.
 Palavra da Efigênia
 Palavra do nosso Presidente provincial, Luciano Dídimo.
 Palavra do nosso Conselheiro Provincial, Gustavo.
 Palavra da Madre Bernadette.
Agradecemos a Deus pelos 15 anos de nossa Comunidade, onde cada membro tem a oportunidade de crescer como pessoa, como cristão, como carmelita!!
Que a Virgem do Carmo, Rainha e Mãe do Carmelo, nos conduza sempre!